Organizações de todos os tipos têm buscado otimizar seus investimentos em TIs. Os recursos de computação e hardware são propensos a ficarem obsoletos rapidamente. Assim a terceirização de plataformas computacionais apresenta-se como uma solução inteligente e altamente viável para os usuários lidarem com suas necessidades de infraestrutura de TI.

Multitenant

Não é multiusuário, pois em aplicações multiusuário assume-se que os usuários estão usando a mesma aplicação. Em aplicações multitenant assume-se que os tenants tem um alto grau de configuração.É um modelo de arquitetura fundamental contido em cenários de cloud computing, onde se emprega uma estratégia de compartilhamento de recursos computacionais de custo eficiente e segura.

Para entendermos melhor alguns conceitos vejamos…

Tenant é uma palavra de origem inglesa que em sua tradução entende-se por: aquele que tem a profissão ou posse temporária de terras ou prédios de outro; especificamente: um que aluga ou arrendamento.

O Prof. Dr. Andy Zaidman, da Universidade de Tecnologia de Delft na Holanda, definiu:

Tenant
Uma entidade organizacional que aluga uma aplicação em arquitetura multitenant.

Multitenant
Arquitetura esta, que permitem o compartilhamento dos mesmos recursos de hardware, tanto à aplicação quanto a instância do banco de dados, cada uma atendendo as necessidades do cliente como se estivesse executando em um ambiente dedicado.

Assim como em um edifício de apartamento que muitos inquilinos de forma rentável a compartilhar a infraestrutura comum do edifício, mas tem paredes e portas que lhes dão a privacidade de outros inquilinos. Nuvem usa tecnologia multitenancy para compartilhar os recursos de TI de forma segura entre vários aplicativos e inquilinos (empresas, organizações, etc.). Algumas nuvens usam arquiteturas baseadas em virtualização para isolar os inquilinos; outros usam arquiteturas de software personalizados para começar o trabalho feito.

Evolução de Aplicações Multitenant

Aplicações multitenant evoluíram a partir da combinação de algumas características de três tipos de serviços:

1960 – Empresas alugam espaço e poder de processamento em computadores mainframe para reduzir as despesas de computação.

1990 – Fornecedores de Serviços de Aplicações foram obrigados a alojar aplicações em máquinas separadas (se várias instâncias dos aplicativos não pôde ser executado na mesma máquina física) ou como separar processos. Neste caso,a arquitetura multitenant apresenta-se mais madura permitindo um serviço similar com menor custo operacional.

1997 – Aplicações web populares voltados ao consumidor foram funcionalmente concebido como uma instância de aplicativo único que serve todos os clientes.

Benefícios

Redução de Custo
A necessidade continua de crescimento de T.I das empresas encontrou um grande aliado no conceito de compartilhamento de recursos computacionais, reduzindo drasticamente o custo na composição de toda infraestrutura para atender tais necessidades das empresas.Essa infraestrutura pode agora ser composta sob demanda e com recursos heterogêneos e de menor custo.

Flexibilidade
A flexibilidade oferecida desse modelo diz respeito à adição e troca de recursos computacionais, podendo assim, escalar tanto em nível de recursos de hardware quanto de software para atender as necessidades das empresas e usuários.

Abstração e Facilidade de acesso
A localização física do ambiente deixa de ser um requisito e a alta disponibilidade e eficiência do ambiente são herdadas dos investimentos e evolução continua do provedor dos serviços.

Modelos de Serviços

Existem três modelos muito importantes, pois definem um padrão arquitetural para soluções.

SOFTWARE COMO SERVIÇO

É o modelo mais fácil de entender e que oferece mais impacto na redução de custos. Esse modelo baseia-se na ideia de fornecer ao consumidor um determinado serviço que está sendo operado e mantido na nuvem com execução no dispositivo do usuário.Na realidade o software como um serviço na prática já vem sendo usado há muitos anos,como por exemplo, a utilização dos serviço de correio eletrônico por parte de provedores.

PLATAFORMA COMO SERVIÇO

Conjunto de elementos oferecidos pelo provedor de soluções para desenvolvimento de software e padronização dos serviços.

INFRAESTRUTURA COMO SERVIÇO

Infraestrutura computacional necessária operacionalização do negócio em produção. Ela inclui: disponibilização de rede, dispositivo de armazenamento e, diferentemente dos outros modelos, o contraste tem acesso ao sistema operacional do ponto de vista de instalação, configuração e manutenção.O contratante não precisa se preocupar com atualização de hardware, infraestrutura de rede física, cabeamento e segurança física do datacenter, pois todos esses investimentos são de responsabilidade do provedor do serviço, cabendo ao contratante apenas escolher aquele de sua confiança.

Faça o download do arquivo da palestra sobre o tema.

teste1

Author: Salime Luz

DBA Oracle Pleno com 4 anos de experiência.

Deixe uma resposta