Prezados amigos ontem 25/10 iniciou o Oracle Open World 2015.

Resumo aqui alguns dos anúncios.

Como não poderia ser diferente tudo é CLOUD, a ORACLE tem 100% dos produtos de tecnologia preparados para CLOUD.

A diferença é que o mesmo produto roda na nuvem (CLOUD) ou on Promise na máquina do cliente.

Então o cliente tem a facilidade de ir e vir da nuvem, pois a tecnologia Oracle é baseada em standards, o que não é possível na concorrência, pois utiliza uma tecnologia proprietária.

Foi lançado o Oracle WebLogic Multitenant a exemplo do banco 12c agora o servidor de aplicação da Oracle também implementa esta tecnologia.

Hoje será anunciado a SEGURANÇA do banco 12c “Always on” sempre ligada.

Para meus amigos DBAs aqui vai um resumo do novo banco de dados 12c release 2 ou 12.2.

  • Agora um container database CDB pode ter até 4096 PDBs.
  • Controle de memoria por PDB (SGA e PGA)
  • Clonagem de PDB “a quente” ou com o sistema em funcionamento.
  • Refresh PDB, uma fez clonado você pode realizar um refresh e trazer as alterações realizadas na base origem desde a clonagem
  • Realocação de PDB para um novo CDB online, sem parar ou alterar a aplicação.
  • Agora a UNDO é a nível de PDB.
  • Agora é possível realizar um FLASHBACK de PDB.
  • Nomes de objetos (antigamente no máximo 30 caracteres) agora podem ter até 128.
  • Agora existe um novo tipo de containter, o container de aplicação que pode ser compartilhado com vários PDBs.
  • Também foi criado o conceito de proxy PDB, ou seja se o PDB foi realocado o proxy PDB e criado no antigo CDB apontando para o novo, desta forma qualquer referencia em aplicações aquele PDB serão roteadas pelo proxy PDB para a sua nova localização.
  • Uma tabela pode ser particionada de forma que as partições existam em vários PDBs, de forma transparente.

Entendendo a realocação de PDBs.

Quando é solicitada a realocação de um PDB para um novo CDB (leia-se aqui um novo servidor em um novo IP), o oracle realiza as seguintes atividades:

  1. Faz um clone a quente para o novo CDB
  2. Após finalizar o clone inicia-se a fase do REFRESH.
  3. Quando os PDBs ficarem sincronizados o listener do local original é avisado.
  4. O listener original começa a redespachar as conexões para o novo PDB de forma online, e as aplicações que apontavam para o antigo local do PDB, agora são roteados para o novo local (novo CDB). Evitando assim a mudança de aplicativos.

Author: webmaster

1 Comentário

Deixe uma resposta